Manual Operacional de Educação Integral 2013

sábado, 2 de novembro de 2013

Os diretores, vice-diretores e coordenadores das 49,4 mil escolas públicas que participam do programa Mais Educação já podem consultar, ler e imprimir o Manual Operacional da Educação Integral. O documento foi elaborado pela diretoria de currículos da Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC para orientar os gestores das escolas sobre o funcionamento do programa.


O manual, que tem 77 páginas, aborda em detalhes todos os pontos do Mais Educação – da legislação aos recursos destinados às escolas, da relação da escola com a comunidade à descrição da importância da música, da leitura, do esporte na formação humana. Relaciona o conjunto das atividades que a escola pode escolher de acordo com sua realidade, número de estudantes ou localização – na área urbana ou no campo. E orienta sobre a exigência do acompanhamento pedagógico que se tornou obrigatório em 2013.

O acompanhamento pedagógico, segundo o coordenador de ações educacionais complementares da SEB, Leandro Fialho, tem peso importante no aprendizado, especialmente em língua portuguesa e matemática. O acompanhamento é o que já se chamou de reforço escolar e de dever de casa, explica Fialho.

Da página 45 à 76, o manual trata da composição dos kits que apoiam as atividades da jornada ampliada ou da educação integral e os recursos que a escola vai receber. No macrocampo denominado comunicação, uso de mídias e cultura digital, a escola tem oito opções. Se escolher, por exemplo, trabalhar com vídeo, o kit deste item é composto por câmera filmadora, estabilizador, ilha de edição, software da área e tripé. O recurso de capital para aquisição dos equipamentos é de R$ 8 mil.

O manual também detalha a forma de adesão ao programa, as etapas de habilitação, a divisão de responsabilidades e tarefas das secretarias de educação de estados e municípios e das escolas, o número mínimo de horas diárias da jornada escolar e da jornada semanal.

Fonte: MEC

Acesse o Manual Operacional da Educação Integral

5 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    a oficina de karate pode entra em esporte e laser?mesmo que não tenha escolido como atividade, já que tem os quimonos?

  1. O karatê está inserido no macrocampo Esporte e lazer. Caso você necessite mudar a atividade, recomendamos que o Conselho local de gestão de educação integral seja chamado para referendar a mudança de atividade.

  1. Clara Vieira disse...:

    é necessario ou obrigatório um monitor de jornal ter curso superior ou esta em uma faculdade,pois dou aula de jornal na escola pelo mais educação e a coordenação esta pedindo documentações de curso superior,se sou voluntaria porque o curso superior.

  1. Clara Vieira disse...:

    é necessario ou obrigatório um monitor de jornal ter curso superior ou esta em uma faculdade,pois dou aula de jornal na escola pelo mais educação e a coordenação esta pedindo documentações de curso superior,se sou voluntaria porque o curso superior.

  1. Olá Clara Vieira. O manual do Programa Mais Educação não prevê esta obrigatoriedade de cursos superior para atuação como monitor Voluntários do Programa Mais Educação. Alguns estados e municípios, fazem legislações próprias para regulamentar estas questões. Aqui no DF, os monitores são regidos de modo geral pela normatização do Programa Jovem Educador Voluntário.

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita. Seu comentário é muito importante para nós!

 
Coordenação de Educação Integral - DF © 2012 | Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal | Subsecretaria de Educação Básica